Virginia Ferreira, escultora e restauradora, é formada pela Escola de Belas Artes da UFMG. Na Universidade foi aluna de Amílcar de Castro, Álvaro Apocalypse, Alberto Nemer e Mário Zavagli, entre outros. Iniciou sua vida profissional em 1980 e hoje tem seu espaço marcado no cenário artístico e cultural de Minas Gerais.

Escultora versátil, Virginia Ferreira trabalha com diversos materiais, tais como ferro, bronze, mármore, madeira e cimento, nos mais variados formatos. Criou peças arrojadas, de até 9 metros de altura, como a escultura "Mater", em Sete Lagoas, o monumento a Carlos Drummond de Andrade , na entrada de Itabira, e a famosa escultura "Juquinha da Serra", parada obrigatória para quem visita a Serra do Cipó, MG.

Dessa intimidade com materiais e técnicas escultóricas brotou, quase que naturalmente, seu interesse pela restauração. Participou do projeto de restauração da Praça da Liberdade em Belo Horizonte responsabilizando-se pelo restauro dos elementos artísticos e decorativos. No Palácio da Liberdade, sede do governo de Minas Gerais, restaurou o forro da Sala do Coro, reconstituindo seus elementos de ornato. Projetou e executou a restauração do Monumento a Tiradentes, em Ouro Preto, e da fachada do Castelinho, no bairro do Flamengo, Rio de Janeiro.

A artista, em plena atividade, continua dedicando todo seu tempo à escultura, à restauração e à pintura, além de ministrar aulas em seu atelier em Belo Horizonte.